Tatini e Casimiro dal Tatini – Da Série: Restaurantes que a Grazi mais gosta

Estou começando uma série de postagens no blog da Graziella dos Imóveis, que serão os restaurantes que a Grazi mais gosta dos Jardins! O primeiro restaurante que selecionei para falar foi o Tatini Ristoranti do Fabrizio Tatini. É o restaurante que mais me remete a minha infância. Estou eu fazendo a postagens e fui pesquisar no site deles … Continue lendo “Tatini e Casimiro dal Tatini – Da Série: Restaurantes que a Grazi mais gosta”

Continue lendo


Estou começando uma série de postagens no blog da Graziella dos Imóveis, que serão os restaurantes que a Grazi mais gosta dos Jardins! O primeiro restaurante que selecionei para falar foi o Tatini Ristoranti do Fabrizio Tatini. É o restaurante que mais me remete a minha infância. Estou eu fazendo a postagens e fui pesquisar no site deles mais da história e não é que eu encontro um depoimento do meu pai lá! Achei muito legal, que sintonia!

Desde criança minha família sempre foi assídua do restaurante Don Fabrizio, que era localizado na Alameda Santos. Tenho na memória algumas cenas de como era aconchegante aquele restaurante: as luzes nas laterais das mesas, o piano, adorava quando meu pai falava que íamos jantar lá! Meu prato preferido na época era o Talharin a Don Fabrizio, que aliás, minha tia Liliana faz muito bem até hoje.

Tatini: linguine nel grana padano preparada no salão (Clayton Vieira/Veja SP)

Depois, começamos a frequentar o Tatini, que inaugurou em 1983.

Meu prato predileto sempre foi o Steak Diana. Não me lembro de alguma vez ter pedido outro!

Assim que eu soube da inauguração do Casimiro dal Tatini, fui imediatamente conhecer, e desde então virei frequentadora assídua.

E não é que continuo apegada ao meu prato predileto!!! rsrsrs

Fui até pesquisar sobre a história desse prato, e achei essa matéria interessante no Paladar do Estadão:

O steak flambado da deusa da caça

“Diz a lenda que uma das cantoras da boate La Licorne, aberta em São Paulo de 1965 a 1991, chamada Diana, tinha o hábito de pedir à cozinha um bife diferente – filé mignon flambado no conhaque e coberto por um molho à base de mostarda e salsinha, caldo de carne, molho inglêsTatini e de tomate. Ela acreditava que a proteína animal melhorava sua voz e embelezava a pele. Assim teria nascido o steak (bife) à diana.“

Segue link do site, alí você vai saber toda a história, desde a chegada da família no Brasil, as opções do cardápio e outras informações interessante.

Steak à diana (Arnaldo Lorençato/Veja SP)

E não é que achei no site um depoimento do meu pai enquanto preparava essa postagem!!! Que bacana! Óbvio que tive que colocar na íntegra aqui!

“Caros amigos,

Tenho hoje 70 anos, comecei a frequentar esse restaurante nem sei quanto tempo faz desde a sua abertura na avenida Ana Costa em Santos, conhecia todos da família, seu pai, sua mãe, enfim todos.

Sempre foram atenciosos e conheciam bem a arte de receber as pessoas, a comida era diferenciada e única, incrivelmente elaborada com sabedoria e sensibilidade, similar somente visitando a Itália.

Meus pais saiam de São Paulo aos domingo e viajavam para Santos somente para ter o prazer de almoçar aquelas delicias, Talharin a Don Fabrizio, a Tamandaré, Osso buco, Cabrito, Steak Diana, e por ai vai mais outros clássicos.

O Tatini é história, cultura, exemplo e uma dinastia da culinária.

Frequento até hoje na rua Batatais, estive ontem jantando e confesso parecia estar viajando no tempo, tudo perfeito.

Hoje devo ser um dos clientes mais antigos e sou feliz por ter conhecido pessoas tão especiais como os Tatinis.

Um abraço ao Mario e Fabrizio e muita saúde a todos!

Victor Labate, Graziella, Daniela e Junior”

 

E não é que bateu um desejo de jantar hoje um steak à Diana no Casimiro!!! Rsrsrsrs

Grazi